Lucy Hale contou para a Refinery29 porque decidiu usar o DIU e colaborar com a farmacêutica Bayer para conscientizar as jovens a pesquisarem outros métodos contraceptivos de acordo com suas necessidades. Confira traduzido abaixo:

Nos últimos anos, parece que todo mundo – desde sua melhor amiga até legisladoras – falam sobre usar um dispositivo intra-uterino, mais conhecido como DIU, como método contraceptivo. É fácil ver o apelo desses dispositivos: assim que ele é inserido no útero, pode prevenir a gravidez e reduzir os sintomas da menstruação por uns anos. Agora, a atriz Lucy Hale estáse abrindo sobre porque ela escolheu o DIU em uma nova campanha com a Bayer.

“Eu acabei de fazer 30 anos, minha carreira está excitante, eu estou por todo lado e eu tenho muita coisa pra me preocupar – e prevenir a gravidez não deveria ser uma dessas coisas”, Hale conta a Refinery29. Sendo alguém que tem “a menstruação mais dolorosa”, e não pode tomar o anticoncepcional direito por causa da agenda de filmagens, o DIU Kyleena, um DIU hormonal que dura cinco anos, pareceu a escolha certa. “Eu quero ter uma família um dia, mas não agora, então o DIU é uma das coisas que se encaixa perfeitamente com a minha vida, então não tive dúvidas.”

Crescendo em uma família médica com uma mãe que era parteira, Hale estava acostumada a ter conversas francas sobre métodos contraceptivos e outros problemas femininos em casa. “Eu sempre fui o tipo de pessoa que é um livro aberto sobre meu corpo e sobre mim mesma,” ela diz. “Eu me sinto sortuda que minha mãe abriu o caminho pra mim.” Desde jovem, Hale lembra de saber o que eram métodos contraceptivos e como funcionavam, embora ela reconheça que nem todo mundo tem a mesma liberdade. “Muitas meninas não tinham acesso, e elas ficavam assustadas ou envergonhadas de falar sobre essas coisas,” ela diz. “Pra mim isso é o mais normal do que a maneira como eu cresci.”

Mesmo agora, adulta, Hale diz que ela ouviu histórias assustadoras de amigas sobre como o DIU funcionava, e como elas se sentiam, o que a deixou apreensiva. Com sorte, sua experiência com o DIU foi “indolor”, ela diz. Testemunhar essa discrepância em primeira mão foi uma das razões que ela se inspirou a criar uma série de vídeos com a Bayer, que dissipa alguns dos equívocos sobre o DIU de uma maneira leve. “O principal é que cada mulher é diferente, o corpo de cada mulher é diferente, e você tem que tomar a decisão certa pra você,” ela adiciona.

Hale espera que usar sua plataforma para falar sobre sua experiência com anticoncepcional ajude a empoderar seus fãs a explorarem as opções de contraceptivos que estão disponíveis para elas. “Estamos em um momento legal para as mulheres, em que podemos tomar essas decisões, e também é um momento assustador para as mulheres,” ela diz. “Precisamos tomar nosso poder de volta e aprender o máximo que pudermos – e se isso der certo pra você, é ótimo.”

Fonte: Refinery29