05
mar 18

Lucy concedeu uma entrevista para o TV Insider, onde fala sobre se ajustar a uma série nova depois de passar tantos anos em Pretty Little Liars. Confira traduzido abaixo:

Depois de sobreviver ao assassino “A”, Lucy Hale está pronta para pegar o grande C em Life Sentence, uma dramédia familiar.

Hale estrela como Stella Abbott, uma jovem que ganha uma segunda chance depois de descobrir que ela venceu o câncer que vem lutando desde a infância. A personagem é uma amostra dos charmes nativos de Memphis e demonstra o poder de viver como se estivesse morrendo… Mesmo quando você não está morrendo.

O script deve ter sido muito especial para você sair de sete temporadas de Pretty Little Liars para outra série.
Lucy Hale: Durante os dois últimos meses de Pretty Little Liars, eu me encontrei com o produtor executivo Bill Lawrence e os criadores Erin Cardillo e Rich Keith, que escreveram o script. Mas fazer mais TV pareceu um pouco demais. Então terminamos de filmar, eu li o script e em 30 minutos, eu estava ligada a essa série.

Agora você faz um tipo diferente de drama! Como é isso?
LH: Eu estou costumada a correr na floresta gritando e ser ameaçada por mensagem. Foi realmente divertido fazer comédia aqui.

Ainda sim tem um drama pesado nos flashbacks de quando Stella estava doente. Você faz um trabalho de quebrar o coração.
Tiveram alguns momentos realmente fundamentais que eram quase insuportáveis de interpretar. Especialmente quando eu estava assistindo Dylan Walsh, que interpreta meu pai, ter que olhar essa menininha morrendo de câncer. Quebra seu coração em milhões de pedaços. Quando você não save se vai acordar amanhã, é um novo nível de dor e drama. Tivemos que ter um pouco de pesquisa na alma. Eu queria fazer justiça, porque eu, batendo na madeira, nunca tive que lidar com nada disso. Eu posso imaginar o quão difícil é.

Você tinha planejado fazer outra série?
Eu sabia que meu próximo passo era importante mas eu não tinha ideia que seria outra série. Sabe, eu li o script e eu me apaixonei por ela. Era um mundo que eu queria viver e queria trazer essa personagem a vida. Indo de uma série para outra onde está tudo nos meus ombros é um pouco desesperador, mas eu sou grata pela oportunidade. Estou animada para todos conhecerem a Stella e espero que amem ela tanto quanto eu.

O tom dessa série é tão diferente de Pretty Little Liars, deve ter sido uma mudança e tanto.
Nem me fale! Não que eu não seja grata pelos oito anos que tive em PLL… É claro que eu sou. Mas depois de fazer algo por tanto tempo, foi muito legal pisar fora daquela caixa e fazer uma série completamente diferente. Isso é, você sabe, o fim oposto do espectro. Foi muito divertido interpretar com a comédia e eu tenho um aspecto de voz na série, o que é divertido. Você está sempre ouvindo nosso monólogo interno. Ela é muito peculiar e divertida de interpretar. Vem sendo um desafio legal.

Stella é realmente peculiar.
Ela está lá, e eu acho que parte é porque ela foi protegida do mundo real por tanto tempo enquanto estava doente. Sua família queria dar a ela a vida perfeita, e assim que ela recebe a segunda chance, ela descobre que o mundo real é muito desanimador – não é só desenhos animados e arco-íris. Acho que Stella está descobrindo isso, quando ela estava morrendo, ela sabia exatamente quem ela era. Agora que ela vai viver, ela não tem ideia de quem é.

Você parece ter caído em uma posição onde ainda tem os melhores figurinos da TV.
Quer dizer, eu sou a menina mais sortuda do mundo ou o que? Com Aria, eu ficava meio, ‘Eu nunca vou ter um guarda roupa tão divertido,’ mas Stella é uma concorrente de peso. Elas são muito fofasm não vou mentir.

Você também tem um filme de terror com Tyler Posey chamado Truth Or Dare que vai sair logo certo?
Oh sim, Tyler e eu ficamos nesse Teen Wolf versus PLL! Foi muito bom. Foi um filme — de gravar, e eu acho que vai ser muito divertido de assistir. É bem bizarro.

Então, oito anos em Rosewood no lote da Warner Bros, então você do nada está em Vancouver. Qual foi a maior mudança que você teve que passar?
Oh, o tempo, vamos ser realistas. É muito mais frio em Vancouver do que em LA! Mas honestamente, por quase dez anos da minha vida, eu vivia a 15 minutos de onde eu trabalhava. Eu acordava, ia para o lote da WB e ia para casa. Essa foi minha vida por basicamente todos os meus vinte anos.

Então, essa série me levou para uma nova cidade, uma nova personagem, com novas pessoas e um país diferente. Tiveram muitas mudanças, mas eu senti… Me senti como Mary Tyler Moore, como se o mundo fosse minha ostra. Foi muito excitante e foi uma grande metáfora para esse novo capítulo da minha vida.

Fonte: TV Insider

Lucy Hale Brasil • Layout por Lannie D