16
jun 22

Foi anunciado hoje (16) mais detalhes sobre um novo projeto da nossa amada Lucy Hale. 

Havíamos postado há um tempo, candids da Lucy filmando um novo filme (ainda sem nome), porém sua personagem se chamava Kate. (Clique aqui para as fot0s).

O Deadline anunciou hoje que o filme se chama “Mort In Sherman Oaks”. Leia a matéria traduzida abaixo:

Keir Gilchrist (Atypical) e Lucy Hale (The Hating Game) serão protagonistas do longa de estreia de Daniel André, Mort in Sherman Oaks – um romance inusitado que também contará com Francesca Eastwood (Old), Jim Gaffigan (Linoleum), Jay Pharoah (SNL), Rhys Coiro (Paradise City) e muito mais.

O filme escrito por André é sobre um agente funerário que vive em um futuro próximo em Los Angeles, onde os indivíduos podem receber seu CDV (contagem de dias de vida) usando um método científico específico. Quando Mort (Gilchrist) descobre que tem menos de um ano de vida, sua noiva Nicole (Eastwood) o deixa e ele é forçado a aceitar seu destino. Mort se junta a um serviço de namoro que combina as pessoas por suas datas de morte e conhece Kate (Hale), enquanto é perseguido por um cafetão perturbado chamado Simon (Coiro).

Fonte: Deadline

Salvo em: Destaques | Filmes
04
mar 22

Lucy Hale concedeu uma entrevista para a Byrdie onde contou um pouco mais dos seus rituais caseiros e quando ela viaja. Confira traduzido abaixo:

Lucy Hale é uma superfã de Alfred Coffee. Assim que ela entra no Zoom, posso ver a capa de papelão de cores vivas da rede de Los Angeles espreitando do canto de sua moldura. Quando eu aponto para ela, o rosto de Hale se ilumina: “Eles vão me escrever pequenas notas na minha xícara de café. Eles sabem que sou um cliente fiel, então eles vão escrever ‘Tenha um lindo dia!’ ou alguma coisa.”

Com sua disposição ensolarada, não é difícil imaginar a atriz fazendo amigos por onde passa. Na realidade, porém, Hale se considera mais uma criatura de conforto. “Quando estou em Los Angeles, não é incomum eu não ver as pessoas ou fazer algo por uma semana”, diz ela. Em um dia típico, você a encontrará descansando ao sol na varanda da frente ou se aconchegando com seus filhotes e um bom livro.

“Eu me sinto sortuda por ter um lugar que é como um santuário”, diz ela. É uma atitude razoável vinda de alguém tão acostumado a viajar para filmagens e filmagens de TV. Tem sido um ano agitado a esse respeito: ela morou em Londres por cinco meses enquanto filmava a série Ragdoll da AMC+, e apenas alguns meses atrás, ela passou seis semanas em Cape Cod para um filme.

Big Gold Brick – nos cinemas em 25 de fevereiro – é mais uma explosão do passado, pois é o último projeto que Hale filmou antes da pandemia. O filme segue a saga maluca e sombria do escritor Samuel Liston (Emory Cohen), de 20 e poucos anos, depois que o enigmático Floyd Deveraux (Andy Garcia) acidentalmente o atropela com seu carro. Em pouco tempo, Floyd contrata Samuel para escrever sua autobiografia e o muda para a casa de sua família. Samuel se apaixona pela filha de Floyd, a desonrada prodígio do violino Lily (Hale). É um passeio selvagem e caprichoso, mas, novamente, combina perfeitamente com Hale. “Eu adoro histórias, obviamente”, ela me diz em um ponto, não muito tempo depois de recitar uma extensa lista de livros favoritos. “Acho que escolhi a carreira certa.”

Vejo que seus cães estão ao seu lado. Quais são os nomes deles?

Este é Elvis, e esta é Ethel. A turma está toda aqui! Espero que meus cães fiquem quietos durante isso.

Há quanto tempo você tem Elvis e Ethel?

Eu peguei Elvis quando ele era um filhote. Ele era um presente, e eu imediatamente me conectei com ele. Eu amo essa criatura mais do que tudo no mundo. Ele tem quase seis anos agora. E então, junto com muitas outras pessoas, peguei um cachorrinho pandêmico. Ganhei a Ethel há pouco mais de um ano, também filhote, de um resgate. Demorei um pouco mais para me conectar com ela, mas agora estamos super ligadas também.

Eu sou originalmente de Memphis, e minha avó idolatrava Elvis Presley, e eu amo Elvis Presley também, então é daí que vem o nome dele. E então Ethel é de I Love Lucy, então a ajudante de Lucy era Ethel no show. Então Lucy, Elvis e Ethel – minha pequena família.

Eles se dão bem?

[Risos] Bem, originalmente peguei Ethel para Elvis porque pensei que me sentiria melhor em sair de casa quando viajasse. Eu tinha essa visão na minha cabeça deles serem melhores amigos. Não foi exatamente assim que aconteceu. Eles estão agora no ponto em que estão abraçados, e vão brincar de vez em quando. Mas por um ano inteiro, Elvis ficou tipo, ‘Ok, mãe, quando ela vai para casa?’ Acho que agora ele aceitou o fato de que ela veio para ficar. Tem sido um aquecimento lento, mas torna a vida interessante.

Então, o que você tem feito ultimamente?

Eu estava morando em Londres por cinco meses em 2021. Foi emocionante ser deixada em uma cidade e não conhecer ninguém ou ter nada para fazer. Recentemente terminei um filme em Cape Cod, que é tranquilo no inverno porque é uma cidade turística. Quando não estou trabalhando, minha vida é praticamente a mesma todos os dias. Passo tempo com os cães, faço caminhadas e bebo grandes quantidades de café. Tenho lido muito. É bom estar um pouco em casa, porque sinto que estive em todos os lugares, menos em casa, nos últimos dois anos.

O que você tem lido?

Taylor Jenkins-Reid escreveu Daisy Jones and The Six e Os Sete Maridos de Evelyn Hugo. Esses dois livros estão no meu top cinco livros favoritos de todos os tempos. Estou terminando [seu mais novo livro] Malibu Renasce agora. Eu amo qualquer livro que seja como um escapismo extremo, e sinto que Jenkins-Reid envolve você neste mundo. Li Daisy Jones em duas sentadas. Ela captura o mundo e os personagens de forma tão brilhante. Também gosto de Malibu Renasce. Também li livros de auto-ajuda como The Untethered Soul ou The Four Agreements. Acabei de receber um livro chamado “o corpo se lembra” — como se chama?

The Body Keeps the Score?

Sim, e mal posso esperar para lê-lo. Mas, eu sei que precisarei estar emocionalmente no lugar certo para lê-lo. Preciso ser estimulada mentalmente pelo livro, ou não vou terminar. Eu também sou daquelas pessoas que vão a uma livraria e compram 10 livros. Tenho tantos livros que não li em minha casa, então sou como uma colecionadora de livros. [Risos]

Isso é incrível. É como se você tivesse sua própria biblioteca particular.

É legal! Eu também amo Colleen Hoover. Comprei todos os sete livros dela na Amazon. É Assim Que Acaba é maravilhoso. Ouvi dizer que Verity é muito bom. Muitos de seus livros giram em torno de mulheres fortes, traumas, histórias de amor e triângulos amorosos. Estou neste aplicativo chamado Goodreads, onde você pode acompanhar o que leu e ler o que outras pessoas recomendam. Meu telefone está definitivamente me ouvindo porque meu feed no Instagram está cheio de pessoas que avaliam livros.

Como é o seu dia-a-dia quando não está trabalhando?

Desde que eu peguei Ethel, ela parece achar que é hora de acordar às 5h30 da manhã, então é isso que eu faço. Tentei ser diligente em treiná-la a fazer xixi no local correto porque não fui tão boa com Elvis e tive que sofrer as consequências mais tarde em sua vida. Então, eu coloquei Ethel em um sistema. Eu sou uma pessoa da manhã de qualquer maneira. Eu normalmente caminho de manhã e escrevo no meu diário de gratidão. Eu costumava tirar sarro das pessoas que escreviam pelo que eram gratas pela manhã, mas isso dá o tom do meu dia. Vou fazer uma pequena rotina de cuidados com a pele se tiver tempo. Não importa o que eu esteja fazendo naquele dia, sempre acordo uma hora mais cedo do que preciso para poder começar o dia devagar. Não posso começar caótico, ou sei que meu dia ficará progressivamente mais caótico.

Como é sua rotina de cuidados com a pele?

Eu poderia falar sobre cuidados com a pele o dia todo. Eu costumava ser uma pessoa que tinha uma rotina de cuidados com a pele de 30 passos, sem saber o que cada um dos produtos fazia ou em que ordem eu deveria colocá-los. Chocante, isso não funcionou para mim. Minha pele estava pior do que nunca porque tenho uma pele super sensível e propensa a espinhas. Agora, minha rotina é um pouco mais simples. Eu limpo levemente, tonifico, uso um serum de células-tronco e aplico um hidratante hialurônico durante o dia. Comecei usando o Vita-Antioxidant AVST Moisturizer 1 da Environ. E finalizo com protetor solar. Se tiver tempo, coloco uma das máscaras de hidrogel da 111Skin, máscara nos olhos e deixo marinar enquanto tomo meu café.

Nunca pensei em fazer uma máscara facial de manhã.

Se eu estiver exagerada pela manhã, usarei uma. Adoro aquele momento em que coloco meu roupão de pelúcia e uma máscara enquanto tomo meu café. À noite, eu sou toda sobre a limpeza dupla. Vou tonificar e aplicar retinol todas as noites da semana – estou na idade em que tenho que usar retinol. Em seguida, aplicarei meu soro de vitamina C da Skinceuticals e o gel Environ Vita. Após 20 minutos, coloco um creme de fusão a frio.

Você disse que a coisa mais importante para você quando viaja ou trabalha é se recalibrar com o ambiente. O que você faz quando está trabalhando ou na estrada?

Eu imediatamente pesquiso no Google tudo em torno de onde estou hospedada. Eu estou tipo, Ok, essa é a cafeteria que eu vou ler. Essa é a academia que eu vou malhar. Eu sou uma pré-planejadora. É uma bênção e uma maldição. Estou sempre 10 passos à frente, mas às vezes também perco o momento presente porque estou pensando em X, Y e Z. Sou muito caseira, então também é importante trazer coisas que me fazem sentir confortável. Se posso viajar com meus cães, meus cães vêm comigo. Levo minhas velas, produtos para a pele, lençóis, perfumes e cristais – todas as coisas que me fazem sentir um pouco mais em casa.

Que velas você leva na mala?

Meu perfume favorito é Le Labo Santal 26, então minha casa inteira cheira a Santal. Também trago Diptyque Baies – tem algo nostálgico. Não sei se minha avó tinha algo com aquele cheiro, mas me faz sentir como uma criança.

Eu não sei se você já esteve na House of Intuition—

Sim. Agora você está falando a minha língua.

Eu amo suas velas de intenção. Estou trabalhando na vela do “abridor de estrada” agora.

Eu amo eles também. Meu amigo acabou de me dar a roxa da cura. Eu ia para a Casa da Intuição outro dia – minha intuição, eu acho, estava me dizendo que eu preciso de um novo quartzo rosa.

Esse é o seu cristal favorito?

Eu amo quartzo rosa ou ametista – eu tenho uma grande ametista aqui. Mas a ideia por trás do quartzo rosa é sobre amor próprio e auto-aceitação, então eu diria que é o meu favorito no momento. Meu conhecimento é mínimo sobre cristais, mas tenho amigos que sabem muito mais do que eu. Eu tenho uma selenita, e aparentemente ela limpa seus outros cristais e os mantém carregados.

Eu nunca entendi os cristais. Sempre gostei mais de tarô e astrologia.

Incrível. Também gosto de tudo isso, o que é uma loucura porque cresci em um lar cristão. Não sou religiosa de forma alguma, mas sou muito espiritual. Minha jornada espiritual me pegou desprevenida porque li livros sobre reencarnação e tive minhas cartas lidas. Eu amo astrologia e quero saber mais sobre isso. Sou geminiana, mas descobri que minha lua é Escorpião e meu ascendente é Leão. Nós associamos mais com nosso signo solar, mas quando descobri que minha lua era Escorpião, eu fiquei tipo, ‘Sou eu!’ Sou muito emotiva e intensa.

Seu signo lunar é o seu eu interior.

Sim, esse é o meu eu interior! Também me identifico com Gêmeos. Todo mundo pensa que os geminianos são duas caras e loucos. E sim, nós somos, mas eu vejo os geminianos mais como pessoas que podem ver os dois lados da moeda.

Eu sou uma lua em Gêmeos, então eu concordo.

Você entendeu! Eu sinto que os geminianos são incompreendidos, então estou defendendo todos os geminianos. E então eu não sei o suficiente sobre leoninos, mas toda a coisa de escorpião ressoou comigo.

Leoninos adoram ser o centro das atenções, mas também é muito bom em focar sua atenção em outras pessoas. Se essa é a sua ascensão, isso tem a ver com a impressão que você deixa nas pessoas quando as conhece.

Não é à toa que me tornei atriz! [Risos] É tão interessante. Todas as diferentes combinações que podemos ter nos tornam quem somos.

Fonte: Byrdie

Salvo em: Entrevistas | Filmes
17
jun 21

Kunal Nayyar, Lucy Hale e Christina Hendricks vão estrelar The Storied Life of A.J. Fikry, uma adaptação do romance best-seller do New York Times, de Gabrielle Zevin. Hans Canosa dirigirá a adaptação de Zevin de seu próprio romance e Mister Smith Entertainment, de David Garrett, estará comprando o projeto para os compradores no Mercado Virtual de Cannes, na próxima semana.

A história de amor cômica segue a história de A.J. Fikry (Nayyar), cuja vida não é o que ele esperava. Sua esposa morreu, sua livraria está tendo as piores vendas de sua história e agora seu bem valioso, uma rara edição de poemas de Poe, foi roubado. Ele desistiu das pessoas e até mesmo os livros em sua loja oferecem outro lembrete de que o mundo está mudando muito rapidamente. Mas quando um pacote misterioso chega à loja, ele dá a Fikry a chance de mudar de vida e ver as coisas de novo.

Claude Dal Farra e Brian Keady, da BCDF Pictures, estão produzindo ao lado de Kelsey Law, Canosa e Zevin. Brice Dal Farra, Nayyar, Hale e Hendricks da BCDF são produtores executivos. A fotografia principal está agendada para este outono.

O livro foi traduzido para 38 idiomas e vendeu mais de 5 milhões de cópias em todo o mundo.

Garrett disse: “A razão pela qual esta é uma história tão maravilhosa com personagens tão incríveis, é que o roteiro é talhado a partir do material de origem mais maravilhoso. Ele ilumina as conexões que estão no cerne de todas as relações humanas de uma forma alegre e afirmativa.”

Fonte: Deadline

23
out 20

Acaba de ser divulgada uma nova entrevista da nossa Lucy Hale acompanhada de uma sessão de fotos incrível feita por Christian Høgstedt para o site SBJCT. Confira a entrevista traduzida abaixo:

Quer se tornar a melhor versão de você? Pegue essas dicas da inimitável Lucy Hale, uma força de luz e amor a ser reconhecido. Conversei com a Lucy sobre atrelar nossas intenções para termos a vida que devemos ter, viver com paixão e aprender como queremos contar nossas próprias histórias. Fiquei tão encantada por essa mulher mágica e tenho certeza que você também ficará. Leia mais abaixo…

Erin Walsh: Obrigada por tirar um tempo para se tornar VERMELHA para nossa sessão de fotos. Estou tão animada de conversar com você sobre o que te faz funcionar e porque. Vamos começar pelo começo. Como você acabou em Los Angeles e começou no showbiz?
Lucy Hale: Primeiro de tudo, eu me diverti demais nessa sessão de fotos. Foi minha primeira sessão desde o Covid e eu estava tão grata de trabalhar com gente tão maravilhosa. Sempre tive uma imaginação doida quando era criança e passava muito tempo sozinha e brincando de fingir. Isso descreve várias crianças, mas eu me sentia diferente quando era mais nova. Sempre tive essa sensação que minha vida seria diferente da dos outros. Eu vivia dentro da minha cabeça a maior parte do tempo. Então eu descobri o amor pela música o que me levou a atuação. Eu descobri o que era a pilot season e convenci minha mãe a me levar para Los Angeles. Só íamos ficar por alguns meses, mas 16 anos depois e ainda estou aqui! Vem sendo uma loucura.

EW: Eu sempre acho que atores que começaram quando crianças têm uma perspectiva insanamente aguda de todas as partes em movimento, tanto o lado empresarial quanto o criativo. Então como você acha que a sua experiência de ter começado tão nova te impactou e onde você está agora?
LH: Eu definitivamente cresci rápido e estava constantemente rodeada de adultos. Trabalhando todo o dia muito jovem e me sustentando definitivamente mudou a maneira que eu via o mundo. Tem momentos agora onde eu queria poder ter sido uma criança por mais tempo mas no final eu não teria mudado nada. Tive que ser profissional desde os meus 15 anos e isso me ensinou muito sobre trabalho duro. E isso sempre esteve dentro de mim. Sem essa paixão, eu não sei se estaria onde estou hoje. Lidar com tanta rejeição provavelmente foi a parte mais difícil, mas isso me abasteceu para me levar onde estou hoje.

EW: Algum mentor em particular ou momentos no começo que você achou que foram essenciais?
LH: Eu tive a oportunidade de trabalhar com pessoas incríveis na minha carreira. Eu fiz uma série chamada “Privileged” há uns 12 anos atrás e trabalhei com Joanna Garcia. Nunca vou esquecer o quão maravilhosa ela foi com todo mundo. Ela tratou todos com respeito e bondade e trabalhou tão duro. Isso deixou uma impressão em mim porque eu queria ser esse tipo de pessoa. Também fiz uma série há alguns anos atrás e uma pessoa foi o OPOSTO do que eu queria ser. Acho que é bom ver os dois lados da moeda. Cada situação pode ser uma experiência de aprendizado e eu sempre tento manter isso na minha cabeça.

EW: O que você considera sua maior força como uma pessoa de negócios?
LH: Definitivamente eu tenho muita paixão. Se eu faço algo, eu faço 110%. Não há área cinza para mim e isso pode definitivamente ser uma das minhas maiores forças. Também tenho uma mente muito aberta. Acho que é super importante poder escutar sem responder emocionalmente e ver de verdade todos os lados das coisas.

EW: Em seu processo de atuação, pode nos contar sobre como você encontra um personagem, emocionalmente, fisicamente e a preparação que isso leva? Como isso varia de papel para papel?
LH: Para mim, eu normalmente acho partes de mim em todos os personagens que interpreto. Eu tiro experiências parecidas e sentimentos. Entretanto, agora eu estou interpretando partes que são tão diferentes de mim e vem sendo um desafio divertido. Às vezes eu mudo meu estilo mudando meu cabelo, mas eu mal posso esperar para fazer um papel onde eu possa mudar drasticamente. Às vezes eu preciso aprender uma nova habilidade. Como no momento, estou na Espanha e tive que aprender sobre botânica para um projeto. Entretanto, a maioria do trabalho é feito na minha cabeça. Apenas sentar e ver pelo que minha personagem está passando e deixar isso entrar por completo. Cada papel é diferente para mim e então os processos mudam a cada vez dependendo de com quem estou trabalhando. Eu acredito muito em instinto natural e confiar no seu instinto quando se trata de tomar decisões sobre os personagens que eu interpreto.

EW: Qual papel você tem mais orgulho até agora?
LH: Essa é uma pergunta difícil porque eu sou minha maior crítica! Eu tenho orgulho de tudo que eu fiz sendo grande ou pequeno, mas acho que Katy Keene foi a época mais divertida que já tive. Foi uma série especial e um momento importante da minha vida.

EW: Você pensa em termos de planos de 5 e 10 anos na vida, ou é mais incidental do que isso?
LH: Eu definitivamente defino objetivos para mim mesma que eu gostaria de atingir mas eu já tive que deixar pra trás alguns deles porque eram só pra me deixar desapontada se você não marca todas as caixinhas. Acredito que nada na vida é um acidente. Acredito que tudo tem um propósito e você está sempre exatamente onde deve estar, mesmo que você não perceba às vezes. Alguns dos momentos mais difíceis da minha vida me moldaram para o que eu sou hoje. Olhando pra trás, eu nunca pensei que esses momentos complicados seriam alguns dos meus maiores presentes.

EW: Você tem um público gigante há vários anos agora – quais são suas maneiras favoritas de conversar com seu público?
LH: Eu estou num momento que só falo sobre tópicos que significam algo pra mim. Eu também me recuso a ficar quieta sobre as coisas que eu acredito mesmo que acabe perdendo apoiadores. Eu tento compartilhar meus pontos de vista de uma maneira não forçando, mas encorajando. Eu sempre tento manter real e autêntico. Eu estou sempre encontrando minha voz de uma maneira que vem sendo divertido pegar um pouco desse poder de volta.

EW: Você já teve experiências de achar difícil navegar a ideia de ser um exemplo porque você está sob os holofotes?
LH: Estou constantemente lutando com isso porque as pessoas tem uma ideia de quem eles acham que você é ou querem que você seja. Sempre tenho medo de desapontar as pessoas, mas também tenho que honrar a pessoa que sou e minha jornada. Já cometi erros e tive dificuldades, e várias pessoas não sabem disso. Acho que tem uma grande percepção errada sobre as pessoas públicas que a vida é arco-íris e glitter. Eu sou muito afortunada e grata por tudo em minha vida, mas houveram momentos bem complicados. Acho que um dia eu vou falar sobre esse lado de mim porque se eu puder fazer alguém se sentir menos sozinho, então eu fiz algo certo.

EW: Alguma causa ou instituição de caridade que você gostaria de redirecionar nossos leitores?
LH: Recentemente comecei a trabalhar com a Child Rescue Coalition. Eles criam tecnologias para dar a polícia maneiras de prender pedófilos. Eu também já trabalhei com o Smile Train e St. Jude. São tantas organizações maravilhosas lá fora e é só encontrar alguma que você de identifique.

EW: Eu amo que através do SBJCT nossos leitores podem descobrir como ser parte da mudança que querem ver no mundo. Tem algumas coisas que você está trabalhando? Que nossos leitores possam seguir seu caminho?
LH: Acho que é importante lembrar que você não tem que fazer TUDO. Meu conselho seria encontrar um tópico que você realmente ama e fique nele porque vai parecer genuíno pra você. E também, nunca pare de aprender e ver diferentes pontos de vista.

EW: Quais são seus pensamentos sobre o destino em geral? E nosso próprio papel na manifestação de nossos caminhos?
Lucy: Acredito que criamos a vida que queremos. Nossos pensamentos são TÃO poderosos e ter uma mentalidade positiva é tudo. Eu acredito no destino e que cada pessoa que você encontra e experimenta tem um propósito maior. Eu sou muito específica sobre as coisas que quero na minha vida e é louco como tantas dessas manifestações se concretizaram.

EW: Quero falar sobre como lidar com as cartas que recebemos. Este tem sido um ano estranho para todos nós, cheio de transições. Seu lindo show Katy Keene não foi escolhido para uma segunda temporada. Você tem um processo para lidar, digamos, com notícias inesperadas? E o que você faz para superar os tempos difíceis?
Lucy: Tem sido uma época muito difícil e desafiadora para o mundo inteiro. Acho que podemos dizer que foi um ano muito difícil. Obviamente, todos nós lidamos com isso de maneiras e níveis diferentes.

Infelizmente, tive que lidar com muitas rejeições e notícias decepcionantes na carreira que escolhi. Existem coisas boas, mas definitivamente é um forte equilíbrio entre os dois. Felizmente, posso passar por momentos difíceis e transformar isso em força. Tento aprender algo com cada resultado ruim. Para superar os tempos difíceis, conto com minha família, amigos e o meu cachorrinho Elvis. Eu também sou uma pessoa muito espiritual e a oração/ pensamento positivo honestamente me ajudou muito. Você tem que ser seu melhor amigo e aprender a me amar, apesar das coisas de que não gosto, também me ajudou a seguir em frente.

EW: Falamos um pouco sobre intuição e aprender a confiar em si mesmo e que muitos de nós temos a capacidade de responder às nossas próprias perguntas. Você pode me contar um pouco sobre sua própria jornada em ter mais contato consigo mesma e com nosso mundo?
Lucy: Acho que todos nós temos uma intuição inerentemente forte. Algumas pessoas estão mais em sintonia, mas acredito que todos podem voltar ao seu eu mais verdadeiro e superior. É preciso trabalho e dedicação, mas vale a pena. No ano passado, estive em uma jornada espiritual e gosto de pensar que vi um grande crescimento. O caminho de cada pessoa é diferente e não existe um caminho certo ou errado… Trata-se de encontrar o que funciona para você.

EW: Alguma prática útil que você sugeriria aos nossos leitores para melhor se conectar com nosso eu interno e também com o mundo externo? Estou lhe fazendo perguntas inebriantes, mas acho que você aguenta!
Lucy: Meditação, diário de gratidão, afirmações positivas, estar na natureza, reiki, exercícios, terapia, se certificar que seu círculo de amigos o ilumine…

EW: O que te traz esperança atualmente?
Lucy: A próxima geração tem muita paixão e quer ver mudanças. Mulheres recuperando seu poder. Sinto que muitas injustiças estão vindo à tona e isso me dá esperança de um futuro melhor.

EW: O que você está planejando? Onde podemos esperar vê-lo em seguida?
Lucy: Atualmente estou na Espanha filmando um filme chamado Borrego. Então irei para Nova York para filmar um filme chamado The Hating Game. Ambos serão lançados no ano que vem junto com um filme que fiz no ano passado chamado Big Gold Brick.

EW: Rotina de preparação física favorita?
Lucy: Hot Pilates. Recentemente, fiquei obcecada.

EW: Dicas de meditação (se tiver)?
Lucy: Comece pequeno e tente não se julgar. A meditação é muito difícil pra mim, mas fica mais fácil. Comece com 2 minutos, depois 5 e aumente semanalmente.

EW: O que devo ler?
Lucy: Where the Crawdads Sing de Delia Owens e The Four Agreements de Don Miguel Ruiz.

EW: Podcasts que você sugeriria?
Lucy: É muito escuro e perturbador, mas Sword and Scale são tão divertidas. São todos episódios reais relacionados a crimes.

EW: Uma rotina para depois do trabalho?
Lucy: Reprise de New Girl ou Schitt’s Creek.

EW: Onde você se sente mais seguro?
Lucy: Em uma trilha de caminhada perto da minha casa. Me sinto mais feliz lá e mais parecida comigo mesma. Em qualquer lugar da natureza, na verdade.

EW: Comida?
Lucy: Batatas fritas e molho ranch.

EW: Melhor qualidade em um parceiro?
Lucy: Comunicação aberta e honesta. A capacidade de estar emocionalmente presente e um coração compreensivo.

EW: Melhor qualidade em um amigo?
Lucy: Minha melhor amiga Annie é como meu apoio emocional. Ela me mantém completamente calma e essa é minha qualidade favorita nela. Eu sou uma pessoa super emocional e pode ser uma montanha-russa, então alguém que tem equilíbrio é importante para mim.

EW: Parte favorita de ser atriz?
Lucy: Conseguir me expressar por meio de personagens. Muitas vezes é difícil para mim descrever como estou me sentindo, mas posso me expressar facilmente por meio do meu trabalho.

EW: Lucy Hale, qual é o seu SBJCT? O que realmente te move e te motiva?
Lucy: Quero deixar uma boa história. Não é uma história perfeita e nem sempre há finais felizes, mas uma que é real. Eu quero inspirar as pessoas. Minha carreira me motiva. Estou sempre aprendendo e crescendo. Eu me sinto muito abençoada por estar cercada de pessoas interessantes e criativas o tempo todo. Sou grata por morar em uma cidade que aceita e ama diferentes tipos de pessoas. Todo o meu objetivo na vida é ser o meu eu mais autêntico e é definitivamente uma jornada, mas é divertida.

Fonte: SBJCT

Confira as fotos do photoshoot em nossa galeria clicando nas miniaturas abaixo:

ENSAIOS FOTOGRÁFICOS – PHOTOSHOOTS > 2020 > SBJCT

sbjct1020-002.jpg sbjct1020-009.jpg sbjct1020-007.jpg

28
jul 20

Foi anunciado hoje (28), que nossa Lucy tem um novo projeto a caminho. Ela estrelará o filme “Borrego” ao lado do ator Nicholas Gonzalez. Confira a matéria traduzida abaixo:

Lucy Hale liderará o elenco do thriller de sobrevivência Borrego, ao lado do ator de “The Good Doctor”, Nicholas Gonzalez.

Hale irá interpretar uma jovem botânica que se muda para uma pequena cidade no deserto para estudar uma espécia invasora de planta. Enquanto ela pesquisa, ajuda um avião que caiu e acaba sendo capturada por uma mula de drogas que a força a liderar uma caminhada pelo deserto para entregar as encomenda.

O xerife local (Gonzalez) é atraído para essa caçada quando sua filha rebelde resolve sair em busca da botânica desaparecida, tudo isso sendo perseguidos pelo traficante local.

Leynar Gómez, Jorge A. Jimenez e Olivia Trujillo completam o elenco.

Jesse Harris irá dirigir seu próprio script e produzir pela bandeira da Abcde Pictures. Greg Lauritano que trabalhou recentemente com Hale em Big Gold Brick, e Tucci e Company também irão produzir. Hale também atuará como produtora executiva.

Fonte: The Hollywood Reporter

Salvo em: Borrego | Filmes | Projeto
22
jun 20

Essa semana foi divulgado o primeiro poster e stills oficiais do novo filme da Lucy: “Son Of The South”.

O longa conta a história do neto de um antigo membro da KluKluxKlan que se junta ao movimento dos direitos civis dos Estados Unidos. O filme se passa entre os anos 50 e 60 e é baseado no livro “The Wrong Side of Murder Creek” de Bob Zellner e Constance Curry.

Confira o poster e stills em nossa galeria abaixo:

 SÉRIES E FILMES – TV SHOWS AND MOVIES > FILMES > SON OF THE SOUTH > POSTERS

poster_sonofthesouth_small.jpg poster_sonofthesouth_small.jpg poster_sonofthesouth_small.jpg

SÉRIES E FILMES – TV SHOWS AND MOVIES > FILMES > SON OF THE SOUTH > STILLS

stills_sonofthesouth_3.jpg stills_sonofthesouth_4.jpg stills_sonofthesouth_3.jpg

Lucy Hale Brasil • Layout por Lannie D